Criança com olho preguiçoso: saiba mais sobre a ambliopia



Se você tem criança em casa, certamente se preocupa com a saúde e procura um médico quando há um problema mais sério, não é mesmo? Mas o que você tem feito para evitar o surgimento desses problemas ou pelo menos diagnosticá-los precocemente?


O olho infantil é formado durante a gestação e atinge a sua maturidade entre os cinco e oito anos de idade. Nesse fase da vida, ele está sujeito a algumas complicações assintomáticas como a ambliopia, um quadro caracterizado pelo desenvolvimento incorreto de um dos olhos. Esse cenário faz com que o cérebro receba imagens borradas e desalinhadas, e aprenda a ignorar a imagem do olho deficiente, o que resulta, a longo prazo, na perda de visão permanente.


Causas


De modo geral, essa má estimulação visual é causada por três fatores principais:


- Erros de refração: neste caso, a ambliopia é motivada por uma grande diferença de foco entre os olhos, geralmente por hipermetropia ou astigmatismo.

Vale a pena lembrar que os erros de refração são conhecidos pela dificuldade em focar os objetos que estão próximos ou longe dos olhos, normalmente associados a estruturas irregulares da córnea.


- Estrabismo: este é um defeito visual em que os olhos ficam desalinhados e apontam para direções diferentes. O estrabismo ocorre em cerca de 3% das crianças, podendo surgir nos primeiros meses de vida ou até mais tarde. Na ausência de tratamento, cerca de 50% dos estrábicos apresentam alguma perda de visão decorrente da ambliopia.


- Bloqueio da visão: o mal desenvolvimento do olho, nesse caso, ocorre quando há algum tipo de barreira que afeta o campo de visão. Entre as mais comuns estão a opacificação do cristalino na catarata congênita, turvações na córnea ou pálpebra caída.


Tratamento


A correção da ambliopia é baseada em forçar o cérebro a usar as imagens visuais do olho afetado, e a forma como isso é feito depende das causas e da gravidade do problema.

Normalmente, o oftalmologista indica óculos ou lentes de contato para corrigir os erros de refração, cirurgia para estrabismo e tampão ou colírios para estimular o olho mal desenvolvido. De toda forma, é importante diagnosticar precocemente e fazer o acompanhamento médico.


Fique de olho


De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, é possível notar alguns sinais nos bebês, e que indicam irregularidades na visão associadas à ambliopia:


- Dificuldade em encontrar objetos próximos;

- Olhos desviados ou cruzados;

- Olhos com tamanho diferente;

- Tremor nos olhos;

- Costume de segurar os objetos muito próximos dos olhos;

- Costume de franzir os olhos ou inclinar a cabeça para enxergar;

- Lacrimejamento excessivo;

- Alta sensibilidade à luz;

- Irritação ocular;

- Íris deformada e pupilas diferentes em forma, tamanho ou cor.


Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria


110 visualizações

Atendimento

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Sábado

Domingo

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 12h00

Fechado

Instagram

Facebook

©  2020 Todos os direitos reservados à  Dra. Letícia Naves