Doenças da órbita ocular em crianças | Entenda melhor


doenças da órbita

Nossa visão depende do correto funcionamento de uma série de estruturas do rosto, não só dos olhos. A órbita, por exemplo, tem um papel fundamental nesse processo, pois abriga e protege o globo ocular, músculos, nervos, vasos sanguíneos e vias lacrimais.

Boa parte das doenças que afetam essa região são comuns durante a infância, e compreender sua origem e características é determinante para um tratamento eficaz, sem complicações.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular, podemos dividir as doenças orbitárias não traumáticas em: infecciosas, vasculares, inflamatórias, tumorais e outras anomalias estruturais. Entre as mais comuns, temos:

- Celulite Orbitária: trata-se de um problema infeccioso nos tecidos da órbita. De modo geral, são causadas por um foco infeccioso externo e podem levar à febre, dor local, edemas, mal-estar, limitação do movimento ocular e perda da visão.

- Hemangioma capilar: este é o tumor orbitário mais comum na infância, caracterizado pelo surgimento de lesões cutâneas superficiais, vasculares e potencialmente proliferativas. Em alguns casos, o problema pode levar à ambliopia e consequente comprometimento da visão nas crianças.

- Orbitopatia Tiroideia: é uma doença orbitária autoimune geralmente associada às alterações na tireoide, glândula que controla a produção de hormônios importantes para o organismo humano. Quem sofre com esse problema apresenta uma série de inflamações nos tecidos orbitários, edemas, aumento no volume de gordura na região, ptose palpebral, estrabismo restritivo, dor e limitação do movimento ocular.

Existem ainda outras complicações que podem afetar as estruturas da órbita e comprometer a visão, como as micoses, infecções parasitárias, má formações vasculares, linfangiomas, sarcomas, neoplasias, linfomas, metástases, cistos e encefalocele.

Vale a pena mencionar ainda que essa região está sujeita a fraturas motivadas por traumas no rosto. Esse quadro, que se configura como uma urgência médica, pode causar dor, inchaço e consequente visão dupla ou reduzida.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular

80 visualizações