Estrabismo em adultos pode ser causado pelo Diabetes: saiba mais



Nós estamos no meio do Novembro Diabetes Azul, um mês dedicado a entender os perigos do diabetes para a vida, como prevenir a doença e quais as melhores opções de tratamento das suas complicações.

Todos nós sabemos que essa doença deixa marcas por todo o organismo, inclusive nos olhos. Mas você sabia que um dos problemas comuns motivados pelo diabetes é o estrabismo? Isso mesmo, a popular “vesguice”.

O estrabismo é considerado um defeito visual no qual os olhos ficam desalinhados e apontam para direções diferentes. Essa doença é comum em crianças, mas pode surgir nas diversas fases da vida, principalmente se houver histórico familiar, síndrome de Down, hipermetropia excessiva, paralisia cerebral, traumatismo craniano, hipertensão e descontrole da taxa glicêmica.

No caso dos diabéticos, há uma explicação para essa relação. O acúmulo de açúcar nos vasos sanguíneos pode alterar a estrutura de diversas células do corpo, favorecendo o surgimento de lesões vasculares que comprometem o funcionamento dos músculos de algumas regiões dos olhos, como aqueles que mantem o seu alinhamento.

Tipos de estrabismo Segundo o Centro Brasileiro de Estrabismo (CBE), podemos classificar a doença de acordo com o alinhamento dos olhos:

- Quando o olho é voltado para dentro, ou seja, aponta para o nariz, chamamos de estrabismo convergente ou esotropia;

- Quando ele é voltado para fora, ou seja, para a orelha, é chamado de estrabismo divergente ou exotropia;

- Quando é voltado para cima (testa) ou para baixo (bochechas), é chamado de estrabismo vertical ou hipertropia;

Vale a pena mencionar que é possível haver combinações entre esses tipos e a variação de alinhamento pode ser intermitente.

Tratamento A melhor forma de corrigir o estrabismo é identificando o problema logo cedo. De modo geral, o tratamento varia de acordo com a causa da doença e envolve o reposicionamento do músculo que não está mais sustentando o olho em sua posição correta.

Ao notar alguma irregularidade visual ou sentir algo nos olhos, procure um oftalmologista imediatamente.

Quanto ao diabetes, vale a pena investir em uma vida saudável e controlar o índice glicêmico, além de manter as consultas médicas em dia. Essa doença pode ainda favorecer o surgimento de outras complicações oculares graves, como a catarata, glaucoma, retinopatia diabética e edema macular.

Fonte: American Academy of Ophthalmology

180 visualizações

Atendimento

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Sábado

Domingo

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 12h00

Fechado

Instagram

Facebook

©  2020 Todos os direitos reservados à  Dra. Letícia Naves