O que você precisa saber sobre o transplante de córneas?



Você já pensou em doar algum órgão ou tecido do seu corpo? Se não, o que te impede de tomar essa decisão?


Os transplantes, de modo geral, permitem que pessoas com alguma necessidade específica retomem o funcionamento normal de parte do seu corpo através da inserção de um novo órgão saudável. No caso das córneas, trata-se de uma oportunidade única de recuperar a visão de alguém que sofre de deficiência visual por problemas nesse tecido.


Apesar de termos um dos maiores programas públicos de transplantes de órgãos e tecidos do mundo, pouco pode ser feito se não houver doações. Daí surge a necessidade de entender melhor como funciona essa realidade para entender que você pode ajudar!


O que é a córnea?


A córnea é um tecido transparente que fica na parte da frente do olho e funciona como uma lente sobre a íris. Se ela se opacifica por causa de lesões, infecções, doenças hereditárias, queimaduras ou qualquer outra causa, a visão pode ficar reduzida e até mesmo se perder com o passar do tempo.


Nesses casos, os prejuízos não podem ser contornados apenas com uso de óculos e lentes de contato. A única forma de corrigir é fazendo a troca por uma outra córnea sadia e transparente.


Como funciona o transplante?


O primeiro passo é ter consciência do legado que você pode deixar para alguém. Doar é um ato humano e, por isso, deve ser estimulado.


Após tomar a decisão de que planeja doar suas córneas, não há necessidade de fazer nenhum documento ou registro formal, basta informar sua família para que a mesma autorize, posteriormente, a retirada desses tecidos. Vale lembrar que as córneas podem ser retiradas em até seis horas após a morte (com o coração parado) e podem ser preservadas por até 15 dias após a sua retirada.


Além disso, é importante saber que a doação não altera a aparência do doador, não atrasa o enterro e não demanda nenhum gasto para a família do doador. Os custos envolvidos no processo são cobertos pelo banco de olhos, que são entidades sem fins lucrativos que recebem doações, preparam e distribuem córneas para transplante, ensino e pesquisa.


Todo o processo de retirada e processamento dos tecidos deve ser executado pelo banco de olhos, garantindo a ética e segurança. A partir daí a distribuição para os receptores é controlada pelos órgãos do governo de acordo com a ordem de inscrição do paciente na lista de espera.


Sobre essa lista, vale a pena destacar que não há a possibilidade de “furar a fila” ou que haja eventuais favorecimentos por qualquer razão. Em casos específicos previstos em lei, quando há emergência comprovada, o paciente poderá ser transplantado de maneira imediata.


Diferentemente do que acontece com outros órgãos e tecidos comumente doados, como coração, rim e fígado, as chances do processo ser completado são grande: aproximadamente 90% das córneas doadas têm condições de serem transplantadas. Por isso, contribua!

Importante: todas as informações sobre os doadores e sobre os receptores de tecidos oculares doados são sigilosas.

___

Conseguiu tirar suas dúvidas? Espero que esteja pronto(a) para ajudar nessa luta e se tornar um doador! Aproveito a oportunidade para ressaltar a importância dessa ação, celebrada neste dia 27 de setembro, o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos.


Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia.


12 visualizações

Atendimento

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Sábado

Domingo

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 12h00

Fechado

Instagram

Facebook

©  2020 Todos os direitos reservados à  Dra. Letícia Naves