Trate seus olhos com carinho!



A terceira idade bateu na porta, e com ela uma série de compromissos e dificuldades que demandam muita atenção. Nessa fase da vida, o cuidado com a saúde ocular deve ser ainda maior, já que existem doenças próprias do envelhecimento que podem deixar marcas irreversíveis.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tinha, em 2017, 28 milhões de idosos, o que corresponde a 13,5% do total da população. A grande questão é que existe uma expectativa de que, em dez anos, esse número chegue a 38,5 milhões de pessoas. Esse já é um indício suficiente para abrirmos os olhos e cuidarmos melhor da saúde, não é mesmo?

Para que você entenda os principais riscos aos quais a sua visão está sujeita na terceira idade, aqui estão os 5 principais problemas de visão que podem afetar o idoso. Confira:

Catarata Considerada a principal causa de cegueira reversível no mundo, a catarata é uma doença em que há o envelhecimento do cristalino, a lente natural dos olhos. Nesse processo, ele perde a transparência e compromete a qualidade da visão.

Além do envelhecimento, a catarata também pode ser motivada por um conjunto de fatores, como o uso excessivo de esteroides, traumas oculares, fatores nutricionais, doenças metabólicas e tabagismo.

Glaucoma O glaucoma é uma doença ocular que provoca lesão no nervo óptico e campo visual, atingindo a visão periférica. Na maioria dos casos, vem acompanhado de pressão intraocular elevada.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), são registrados, todo ano, cerca de 2,4 milhões de novos casos ao redor do mundo, especialmente entre os idosos acima dos 70 anos de idade.

Vale a pena ressaltar que o glaucoma pode levar à cegueira e não tem cura. O acompanhamento oftalmológico desde o início permite controle satisfatório da doença.

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) A DMRI, como o próprio nome já diz, é própria do envelhecimento. Essa doença atinge a área central da retina, chamada de mácula. Com o tempo, essa região corre o risco de perder sua estrutura normal, comprometendo a visão central e podendo levar à cegueira.

Essa é a causa mais comum de perda de visão central irreversível em pacientes idosos, e por isso demanda cuidado extremo.

Síndrome do olho seco


De acordo com a Associação Brasileira de Portadores de Olho Seco (APOS), aos 65 anos uma pessoa produz 60% menos lágrimas do que aos 18. As lágrimas são responsáveis pela lubrificação e nutrição visual, captam oxigênio do ar para a córnea e protegem os olhos da ação de bactérias e partículas de poeira. Na sua ausência, podem surgir uma série de problemas, como a síndrome do olho seco, em que há ardor, irritação, sensação de areia nos olhos, dificuldade para ficar em lugares com ar condicionado ou em frente ao computador e olhos embaçados ao final do dia.

Normalmente, recomenda-se tratamento com uso de colírios. Entretanto, em casos mais graves, é necessário recorrer ao transplante da glândula salivar.

Acidentes oculares Com o passar dos anos, os reflexos não são mais os mesmos e os idosos se tornam as principais vítimas dos acidentes oculares. Na maioria dos casos, esses acidentes são domésticos e ocorrem por causa de alguma condição do ambiente, sedentarismo, doenças relacionadas ao envelhecimento, comprometimento da acuidade visual, efeitos colaterais de medicamentos de uso contínuo e problemas que comprometem ossos, músculos e articulações.

Para evitar essa situação, recomenda-se hábitos de vida saudáveis, como exercícios físicos moderados e regulares e alimentação balanceada. Além disso, é extremamente necessário manter as consultas médicas em dia, especialmente com um geriatra e oftalmologista.

__

Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia

14 visualizações

Atendimento

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Sábado

Domingo

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 18h00

8h00 às 12h00

Fechado

Instagram

Facebook

©  2020 Todos os direitos reservados à  Dra. Letícia Naves